parte 2 parte 2 parte 2
MENU
  • ERGONOMIA PARA DENTISTAS

    ergonomia-para-dentistas

    De acordo com estudos recentes, aproximadamente 70% dos profissionais do setor odontológico sentem alguma dor relacionada à profissão. Vamos falar sobre ergonomia?

     

    A palavra ergonomia tem origem nos termos gregos érgon (trabalhos) e nomos (leis e regras), portanto, etimologicamente ela tem significado de leis que regem o trabalho.

    Trata-se da disciplina científica que busca entender as interações entre os seres humanos e outros elementos de um sistema, como por exemplo, o ambiente de trabalho, buscando criar princípios e métodos que harmonizem o bem estar das pessoas e o desempenho global do sistema.

    Apesar de ter sido usado pela primeira vez em 1857 pelo polonês Wojciech Jastrzebowski, o termo só se popularizou nos anos 1950, após a fundação da Ergonomics Research Society, na Inglaterra. No Brasil, desde 1943, com a publicação do Decreto-Lei nº 5.452 que aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a ergonomia passou a ganhar destaque.

     

    Aplicando a ergonomia na odontologia

    Na odontologia a maior parte das queixas é em relação a dores, principalmente nas regiões de pescoço, ombros e braços. Neste caso, a aplicação da ergonomia tem como objetivo diminuir o estresse físico e mental, prevenindo assim, doenças relacionadas à prática do trabalho, e consequentemente aumentando a produtividade.

    A utilização inadequada de equipamentos e a falta de postura na realização de algumas tarefas cotidianas podem interferir na saúde geral do cirurgião-dentista. Por ser uma profissão que exige a interação com diversos equipamentos, móveis, instrumentais e com o próprio ambiente, pode ser muito complexo criar uma combinação adequada.

    Para a boa prática da profissão é preciso concentração e precisão de movimentos, impossibilitando uma posição postural delimitada. A própria prática exige rotação de tronco, flexão de cabeça e força na musculatura de diversas regiões do corpo.

    Além disso, os dentistas e demais profissionais da área sofrem com as limitações naturais do próprio trabalho, como campo de visão limitado, necessidade de alcançar locais difíceis, e ainda com a força e pressão que é necessário empregar no próprio instrumental.

     

    Doença mais comum

    Devido a isso, uma das doenças mais comuns entre a classe é a LER/DORT, que é uma síndrome relacionada a prática do trabalho, e pode lesionar tendões, músculos, nervos e ligamentos.

    A sigla LER significa lesões por esforços repetitivos, e também é denominada como distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho, ou DORT. Essas doenças são caracterizadas pelo desgaste das estruturas do sistema musculoesquelético.

    De acordo com especialistas essa doença é relacionada a posturas desconfortáveis e assimétricas, velocidade dos movimentos, excesso de força e movimentação repetitiva por longos períodos, enquadrando-se assim nos riscos ergonômicos.

    Segundo pesquisas, a principal região de desconforto afetada pela LER/DORT é a região cervical, afetando 73% da população que desenvolveu a doença, seguido por pescoço (66%), costas inferior e/ou coluna lombar (63%), costas-superior (59%), costas-médio (58%), ombro direito (46%), ombro esquerdo (37%) e bacia (31%).

     

    Qualidade de vida para o Dentista

    Alguns hábitos básicos, como realizar pausas e alongar os músculos mais utilizados durante o exercício do trabalho podem melhorar significativamente o bem estar e conforto do dentista.

    As regiões que os cirurgiões-dentistas devem se preocupar em alongar e exercitar é principalmente a região do pescoço, ombros, cotovelos, mãos e punhos.

     

    Outras dicas interessantes são:

    - Dividir os tratamentos que duram muitas horas em mais de uma sessão;

    - Organizar e adaptar os móveis de forma que eles possibilitem posições ergonômicas;

    - Realizar atividade física no mínimo três vezes por semana;

    - Usar meias de média compressão para prevenir o surgimento de varizes;

    - Não utilizar luvas que apertem o punho;

    - Reeducar a postura durante o trabalho, de forma a deixar a coluna sempre reta e apoiada, deixar o tronco mais próximo à cadeira do paciente, evitar que a cabeça fique excessivamente flexionada e manter pés e cotovelos sempre apoiados.

     

    Vale lembrar que se preocupar com a ergonomia, bem como cuidar da saúde de forma geral ajuda a prevenir doenças que não só atrapalham como podem proibir que o cirurgião-dentista exerça a sua profissão. Por isso, é muito importante seguir as dicas e pensar no ambiente de trabalho de forma global, levando em consideração a forma como interagimos com ele.

    Esperamos que as dicas acima ajudem vocês a cuidarem ainda mais da saúde.

     

    Gostou da dica de hoje ou tem alguma sugestão de pauta para o nosso Blog? Entre em contato pelo nosso site ou pelas nossas redes sociais: Facebook e Instagram.